Izabel Eri Diehl de Camargo, Caminhos da Vida

"São os passos que fazem o caminho". Mario Quintana

Textos


Em dado momento da Era Cristã, aconteceu uma surpresa, com grandes preparativos. O vento correu, a Terra girou veloz, a Lua beijou o povo, as estrelas dançaram com os planetas, as crianças cantaram baixinho, os sinos repicaram numa ressonância de amor, o ar exalou perfume de flor festiva, os corações choraram de emoção. Ninguém sabia o porquê. A curiosidade espelhou-se nos olhos de todos. Era uma chuva de perguntas, sem respostas. De repente ouviu-se uma voz estridente, era um estudioso, informando:
 — Hoje é Natal. O Papa Júlio I decretou 25 de dezembro como dia da comemoração do nascimento de Jesus, o Salvador.
O povo entusiasmado gritou:
— É Natal! É Natal!
A praça fora iluminada pelos cometas que desciam do céu, as árvores verdes emitiram eflúvios dourados. O colorido se fez. Balões de todas as cores voaram. Chegou o carpinteiro José com Maria muito bela, olhar meigo, doce voz, vestido branco de festa. No colo, um menino para a festa abrilhantar. Seu olhar era de santo, cabelos louros cacheados, seu nome Jesus, o pequeno de gestos grandes. Olhou para o pai e para a mãe e falou com muito ardor:
— Deixai vir a mim os pequeninos, com eles quero brincar.
Houve ressonância em sua voz, a criançada vibrou, surgiu uma imagem linda chamada fraternidade. O anfitrião Júlio I sonhou com a recepção e chamou seu velho pai  Noel para gerenciar a festa com eflúvios de luz. “Papai Noel”, velhinho com barba branca, de vermelho enfeitado, encheu um saco  de presentes e saltou de paraquedas. Chegou com olhar de ternura e falou a todo mundo com palavras de oração. Entregou os presentes com os nomes desenhados. Sua voz soou para cada um, dizendo:
Amizade, amor, sinceridade, fé, esperança, humildade, saúde, alegria, lealdade, compaixão, sabedoria e felicidade.
Com estes presentes, a mesa foi construída e todos em prece comemoraram. Júlio I, Maria e José acompanharam o fato misterioso. Jesus espalhou energia em ondas que vieram do céu, das estrelas, do sol e de todo lugar. Papai Noel comunicou-se com Deus para a grande sinfonia . O maestro foi Jesus. O som e a voz explodiu. O mundo todo cantou:
“ Noite feliz! Noite Feliz!”
 
 
 
 
 
 
Izabel Camargo
Enviado por Izabel Camargo em 18/12/2016

Música: Antonio Marcos - O Homem de Nazareth - Desconhecido

Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras